• images/oencontro/1.jpg
  • images/oencontro/2.jpg
  • images/oencontro/3.jpg
  • images/oencontro/4.jpg
  • images/oencontro/5.jpg
  • images/oencontro/6.jpg

Os Mosteiros são lugares de oração, de irradiação da vida cristã e privilegiados para os que desejam rezar. Eles são como oásis espirituais, onde os que crêem se reúnem para buscar o Senhor. De alguns anos para cá, este desejo vem aumentando com fervor no coração dos homens, principalmente dos jovens. Aqueles que passam pelos Mosteiros sentem uma atmosfera de paz, de oração e de alegria e sentem-se felizes por se unirem à Oração Litúrgica, de Louvor e de Intercessão das Monjas. Além disso, os  Mosteiros proporcionam uma reflexão sobre a vida com o olhar da fé. 

1arbre.htm txt ArbreO Mosteiro do Encontro pertence à Congregação das Monjas Beneditinas da Rainha dos Apostólos que tem Mosteiros na Bélgica, no Portugal, na África, em Israel e no Brasil. O Mosteiro do Encontro é uma fundação do Mosteiro Notre-Dame de Béthanie, Loppem - Brugges na Bélgica.

DSC07129

Em 1989, O Mosteiro do Encontro fundou o Mosteiro da Água Viva no Amazonas.

Desde a sua fundação, o Mosteiro do Encontro foi reconhecido e respeitado como lugar de oração, acolhida e partilha...

Curitiba cresceu e a cidade industrial foi construída na zona sul perto do mosteiro, o bairro desenvolveu-se e novas estradas foram abertas. O que era outrora lugar de silêncio e solidão tornou-se periferia de grande cidade com todos os problemas de ruído, violência etc...Por causa de tudo isso a comunidade teve que se mudar...Desde 23 de dezembro de 1999 o Mosteiro foi transferido para o município de Mandirituba , em Areia Branca dos Assis à 70 km ao sul de Curitiba...A igreja nova foi dedicada no dia 21 de agosto do ano 2008 ao Cristo Luz das Nações...

Desde 2007 o Mosteiro pertence à nova Diocese de São José dos Pinhais.

  

   Eis um pouco da história da nossa  Fundação do Mosteiro da ÁGUA VIVA

 

   Em 1987 nosso Mosteiro do Encontro recebeu de três bispos de locais diferentes, um pedido para uma fundação monástica em sua diocese. Depois de um longo discernimento, a comunidade decidiu responder ao pedido de Dom Jorge Marskell, bispo da Prelazia de Itacoatiara no Amazonas, que veio pessoalmente bater à nossa porta. Dom Jorge desejava para sua Igreja local uma presença de oração e acolhimento. Ele admitia nada conhecer sobre a vida monástica, mas acreditava de todo o coração que a presença do Mosteiro seria uma luz para todas as comunidades de sua imensa Prelazia.

 

   Foram feitas várias viagens de prospecção, de duas a duas, para conhecer a região e, sobretudo para discernir se o que esperavam do Mosteiro seria compatível com nossa identidade, pois tínhamos percebido que as necessidades seriam imensas. E finalmente, Madre Chantal, a prioresa  em função e a nossa comunidade responderam um generoso SIM, dando de nossa pobreza.  Era preciso muita coragem para fazer esses 4.000 Km que separam o Mosteiro do Sul deste fundado no Norte. No início, fazíamos o trajeto Curitiba-Brasília em ônibus (22h) depois o vôo noturno até Manaus, e ainda 4h de carro para chegar à Itacoatiara. E sempre bem carregadas de grandes bagagens com todo tipo de legumes e outros alimentos, pois no início tudo faltava na pequena cidade. 

 

   Nos esperava o desconhecido, com o grande calor equatorial e a exuberante vida da floresta, verdadeira sinfonia de pássaros e todo tipo de animais pequenos e grandes, e todo um mundo e toda uma cultura tão diferentes.  Mas nada venceu o entusiasmo e o ardor das Monjas.

 

   Para a construção do mosteiro, nós pudemos contar com a ajuda preciosa e competente do Padre José Maria Fumagalli ( de saudosa memória) padre da Consolata, verdadeiro missionário e monge de coração. Ele coordenava a construção, trabalhando ele próprio em todos os domínios. O mosteiro se situa à 10 km da cidade e se tornou um ponto de referência para os vizinhos.

 

   As fundadoras chegaram para os 25 anos da Prelazia, e o Mosteiro da Agua Viva começou sua vida regular no dia 7 de outubro de 1989, festa de Nossa Senhora do Rosário,  padroeira da Prelazia.  Um Mosteiro beneditino onde as monjas aí vivem para escutar a Palavra de Deus, partilhá-la e pô-la em prática. Para ser uma comunidade de oração e de acolhimento. Uma comunidade a serviço daqueles que sentem necessidade de um espaço de silêncio para encontrar-se com Deus ou a escuta de uma irmã. Uma comunidade também a serviço dos diferentes grupos da Prelazia que querem descobrir ou aprofundar as motivações evangélicas de seus trabalhos pastorais, segundo o desejo e pedido do Bispo.

 

   A primeira vocação local não tardou, e esta jovem amazonense aceitou corajosamente fazer sua formação monástica em nosso Mosteiro do Encontro. Ir. Eliete, agora monja, se encarrega da catequese no Mosteiro da Água Viva de um grupo de crianças da vizinhança, ou de adultos que desejam receber o batismo.

 

   Hoje a comunidade conta com 6 Monjas. Após 23 anos de fundação, o mosteiro se enraíza com as vocações amazonenses. A audácia de viver a vida monástica nesta região se mantém.  É o primeiro Mosteiro  Beneditino no Estado do Amazonas. Cabe a cada uma transmitir a vida monástica, ou mesmo a vida cristã, pois estão numa região de missão.  Desejam ser um “sinal da presença de Deus” . A comunidade é uma  pequena FONTE DE AGUA VIVA para aqueles que tem sede de Deus e de seu Reino.

 

   

 

 

 

         comunidade2                                 Nazaré 002

 

 Trabalho manual das Monjas.

 

 " São verdadeiros monges se vivem do trabalho de suas mãos." RB 48,8